terça-feira, 14 de julho de 2009

Parko Nota 10

---------------------Foto: Kelly Cestari / ASP/ CI via Getty Images.
-
Mesmo com um estilo impecável de surfar, o forte do Parko nunca foi o tubo. Quando o mar acordou clássico hoje, e as baterias começaram a rolar, minhas atenções se voltaram para o que os juízes valorizariam mais. Não deu outra, o High Score só viria com um ou mais tubos.

Sem dúvida, Parko está no Rip, com gana pelo seu primeiro título mundial e patrolando quem vem pela frente. Depois das derrotas de Fanning, Cj, Taj e Mineiro, o caminho estava livre. Como eu gosto de ver as coisas pegando fogo, e a essa altura a faísca mortal é o Slater vencer em Jbay, com péssimos resultados de seus adversários, admito que torci contra o Aussie mal encarado.

Foi então que entrou aquela série perfeita, o narigudo se posicionou bem, desceu e entubou, a onda correu, correu, correu e correu. Vibrei com a vaca, pois ela aconteceu, não existia ninguém ali dentro, só se fosse um fantasma. Não seria possível alguém estar tão fundo e tão rápido naquela morra de 2 conto, acelerar e sair. Seria uma miragem, ou uma ilusão de ótica deste mundo moderno e sem cada vez mais sem graça. Mas não. Foi real, foi talento puro. Se eu fosse um juiz ali, reivindicaria a possibilidade de digitar um 11 em vez de um 10.

E digo mais, aquilo não foi só um tubão, foi a prova de que, novamente, teremos um Aussie campeão mundial com merecimento.

Só tu poderás Kelly. Mais ninguém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto. Aqui é tudo liberado.