quarta-feira, 4 de novembro de 2009

A Batalha Final


O ano de 97 foi inesquecível para o nosso bairro. A febre do jogo de botão havia chegado com tudo, e Pantufa e Dodô protagonizaram a corrida pelo título mais emocionante da história.

Pantufa ganhará 2 torneios seguidos logo de cara, um deles com uma goleada de 5x1 em cima da Squadra Azurra, time com o qual eu jogava, abrindo boa vantagem no ranking. Suas jogadas eram difíceis de serem marcadas, sabia o ponto fraco de cada adversário, o que tirava o sono de todos. Até que Dodô, um talento recém descoberto, e com sede de vitória, conseguiu. Eliminou Pantufa numa semi-final, e depois dali, ninguém mais o parou.

Dodô ganhou os próximos 3 torneios e chegou ao último como líder do ranking, com Pantufa em sua cola. Ambos precisavam da vitória para levantar a taça sem depender de ninguém. Lembro que quase parei Dodô nas quartas, arrancando um empate sofrido no tempo normal, mas derrotado na prorrogação. A final entre eles era inevitável, e aconteceu. Quem ganhasse, era o cara. A rua parou. Na casa de Maiquinho, onde aconteciam os jogos, mais de 80 pessoas empilhadas assistiam o duelo de 2 jogadores que se criaram juntos, aprenderam a jogar juntos, vinham da mesma escola, mas tinham estilos diferentes.

Fanning é o Dodô de 97. Teve uma primeira metade de ano apagada, sem resultados expressivos, mas sempre ali, pontuando, incomodando, sem nunca perder os líderes de vista. Quando ganhou sua primeira etapa, ninguém mais o parou. Parece ter soltado o pé de vez. Voltou ao rip com fome por título mundial e respondeu a altura as críticas ao seu surf.

Em Pipeline, tem a nada fácil missão de vencer, ou barrar Pantufa, quero dizer, Parko. Que não é porque teve uma segunda metade de ano apagada, que está morto, pelo contrário, aquele 10 em Portugal foi a prova de que a disputa será onda a onda.


Resta aguardar, e ver com os próprios olhos se o tubo que dará a vitória a algum deles virá nos segundos final, como o gol que consagrou Pantufa com o título inédito naquele ano inesquecível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala que eu te escuto. Aqui é tudo liberado.